Pequim veta obras de artista chinês consideradas violentas, diz revista

Berlim, 30 mar (EFE).- O Governo chinês impediu a entrada no país de duas obras do artista chinês Yang Shaobin consideradas sangrentas e violentas demais, informa hoje o site da revista alemã Art Magazine.

EFE |

A legislação chinesa determina que a importação de obras de arte, seja de artistas chineses ou estrangeiros, precisa ser autorizada pelo Ministério de Cultura.

As obras de Shaobin, de 46 anos, são propriedade de uma fundação indonésia. Uma delas mostra um jogador com o nariz ensanguentada.

A segunda obra de Shaobin que teve sua entrada na China vetada - "Soon freezes malé infant", de 2006 - mostra duas crianças deficientes nuas e com ferimentos.

O galerista alemão Alexander Ochs, que há anos trabalha com o artista chinês, disse que, desde o final dos Jogos Olímpicos de 2008, "a situação da cultura e do mercado cultural piorou na China".

De acordo com o exibidor, as obras agora censuradas já fizeram parte de uma exposição organizada em Pequim em 2006. Para Ochs, a proibição atual é uma prova da "restritiva política cultural" de Pequim. EFE nvm/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG