Pequim rejeita politização dos Jogos em diálogo com enviados do dalai lama

Pequim, 1 jul (EFE).- O Governo chinês reiterou hoje sua rejeição a relacionar sua política no Tibete com a realização dos Jogos Olímpicos, no primeiro dos dois dias de contatos em Pequim com emissários do dalai lama, o líder espiritual tibetano.

EFE |

"Somos contra que qualquer líder nacional se reúna com o dalai lama em qualquer formato. Somos contra que se relacionem os Jogos com o Tibete e que se politizem os Jogos", disse Liu Jianchao, porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores chinês.

Pequim respondia, assim, ao presidente francês, Nicolas Sarkozy, que nesta segunda-feira condicionou sua presença na abertura dos Jogos, em 8 de agosto, aos progressos do atual diálogo entre a China e o dalai lama.

Liu disse que dois enviados do dalai lama, Lody Gyari e Kelsang Gyaltsen, manterão contatos com funcionários do Governo central, mas não deu detalhes sobre a reunião, realizada a portas fechadas e em um lugar sigiloso, três meses depois da revoltas na região autônoma.

O Governo tibetano no exílio informou que os dois emissários chegaram ontem a Pequim e que as conversas - a sétima rodada de diálogo entre ambas as partes em conflito desde 2002 - acontecerão hoje e amanhã.

"Os problemas do Tibete são assuntos internos da China, e os contatos entre o Governo e os representantes privados do dalai lama também são", disse o porta-voz chinês. EFE mz/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG