Pequim pede fim de perguntas indiscretas a estrangeiros

Pequim, 25 jul (EFE).- Os estrangeiros geralmente se surpreendem com perguntas indiscretas que os chineses costumam fazer em seu dia-a-dia, e por isso no centro da capital foram pendurados cartazes para prevenir os cidadãos locais sobre o tamanho de sua curiosidade durante os Jogos Olímpicos.

EFE |

Os cartazes explicam que para os ocidentais é de mau gosto que um desconhecido lhe pergunte quanto ganha por mês, quantos anos tem e se é casado.

Essas três perguntas, obedecendo à ordem, são correntes nas primeiras conversas entre chineses, e também são utilizadas quando estes dialogam com estrangeiros, alguns dos quais se surpreendem e inclusive ficam incomodados, ainda de acordo com as explicações do cartaz.

Perguntar qual a religião, qual o endereço e o estado de saúde das pessoas pode incomodar o turista estrangeiro.

Desde que Pequim obteve o direito de sediar os Jogos Olímpicos, em 2001, o Governo chinês já colocou em prática várias campanhas para fazer com que os cidadãos locais não choquem os estrangeiros.

Está mais difícil ver transeuntes cuspindo em qualquer momento e lugar, uma prática ainda estendida, já que há quem considera que o gesto faz bem à saúde, embora já conte com muitos detratores entre os próprios habitantes de Pequim. EFE rm/fr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG