Pequim nega visita de sucessor de Kim Jong-il

Pequim, 16 jun (EFE).- O Governo chinês assegurou hoje que não tem conhecimento da suposta visita secreta do filho mais novo de Kim Jong-il e seu provável sucessor à frente do regime norte-coreano, Kim Jong-un, nem de seu encontro com o presidente da China, Hu Jintao.

EFE |

"Não temos conhecimento da situação que menciona", respondeu o porta-voz de turno da Chancelaria, Qin Gang, ao ser perguntado sobre a visita de Kim Jong-un que segundo a imprensa japonesa aconteceu por volta de 10 de junho.

O mais novo dos três filhos do líder norte-coreano teria mantido uma reunião secreta com Hu e com o chefe do departamento de Exteriores do Partido Comunista da China (PCCh), Wang Jiarui, segundo o jornal japonês "Asahi", que cita fontes norte-coreanas.

Na visita, a delegação norte-coreana teria comunicado ao presidente da China que Kim Jong-un, de 26 anos, tinha sido escolhido extra-oficialmente como sucessor de seu pai, e que ocupa um importante cargo no Partido dos Trabalhadores da República Popular da Coreia.

Ainda de acordo com o jornal, Hu teria pedido a Kim Jong-un que a Coreia do Norte não realize um terceiro teste nuclear, similar ao de 25 de maio, e que não se repitam os lançamentos de mísseis de longo alcance.

Em 1983, Kim Jong-il realizou uma viagem secreta para se reunir com o então presidente da China, Deng Xiaoping, e altos representantes de seu Governo, após ter sido escolhido como sucessor por seu pai, o fundador da Coreia do Norte, Kim Il-sung. EFE mz/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG