Pequim nega envolvimento em ciberataques contra a Google

Pequim, 23 fev (EFE).- Pequim respondeu hoje pela primeira vez de forma direta às acusações da multinacional Google de 12 de janeiro, quando esta afirmou ter sido alvo de ataques de hackers do Governo chinês, uma acusação que o executivo chinês considera infundado.

EFE |

Até agora, Pequim tinha defendido seu direito de fazer uso da censura na internet e tinha pedido a Google e outras multinacionais que cumprissem às leis da República Popular.

"Os comentários do Google de 12 de janeiro são infundados. A China se opõe de maneira firme" a essas acusações, assinalou hoje o porta-voz de turno do Ministério chinês de Assuntos Exteriores, Qin Gang, em entrevista coletiva.

O porta-voz acrescentou que "as acusações de envolvimento do Governo chinês são irresponsáveis e respondem a ulteriores motivos".

Google ameaçou em janeiro abandonar seus negócios no país após ter sido alvo de ataques e da censura chinesa, uma das mais sofisticadas do mundo e diante do fato de que as multinacionais do setor tiveram que se dobrar ao mercado de 384 milhões de usuários.

EFE mz/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG