Pequim diz que resolução da ONU mostra oposição a teste nuclear

Pequim- O governo chinês afirmou neste sábado que a decisão das Nações Unidas de ampliar o embargo e propor novas sanções à Coreia do Norte demonstra a oposição internacional contra os testes nucleares realizados por Pyongyang.

EFE |

Em um breve comunicado divulgado pela agência oficial "Xinhua", o porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores, Qin Gang, disse que "a resolução adotada com unanimidade mostra a oposição comum da comunidade internacional sobre o teste nuclear".

O posicionamento da China foi um duro golpe para o regime comunista de Kim Jong-il, já que o gigante asiático é um dos aliados mais próximos de Pyongyang.

"A China se opõe aos testes nucleares e acredita que as reações do Conselho têm de ser apropriadas e equilibradas, e como pode ser visto, não há apenas sanções, mas também uma mensagem positiva à Coreia do Norte", indicou à imprensa o embaixador chinês na ONU, Zhang Yesui.

A nova resolução da ONU impõe um embargo total às exportações de armas da Coreia do Norte e amplia a proibição de suas importações de armamento, além de permitir a inspeção de navios e aviões suspeitos de transportar armamento.

Também pede aos Estados-membros que antes de 30 dias ampliem a lista de ativos, entidades e indivíduos do regime norte-coreano que devem ser submetidos a sanções.

    Leia tudo sobre: china

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG