Pequim condena nomeação do dalai lama como cidadão de honra de Paris

Pequim, 22 abr (EFE).- O Ministério de Assuntos Exteriores chinês condenou hoje firmemente a concessão do título de cidadão de honra ao dalai lama, além de ao ativista Hu Jia, por parte da Prefeitura de Paris.

EFE |

"A China expressa sua firme insatisfação e sua decidida oposição" a este prêmio, afirma um comunicado assinado pela porta-voz do ministério, Jiang Yu.

Acrescenta que seu país "exige da França que pare imediatamente de interferir nos assuntos internos da China e que tome medidas reais para salvaguardar as relações sino-francesas".

Assim, parece que a carta enviada pelo presidente francês, Nicolas Sarkozy, à atleta paraolímpica Jin Jing, que foi atacada por ativistas pró-tibetanos quando carregava a tocha olímpica por Paris, não vai aliviar a crescente tensão entre os dois países.

O gesto de Sarkozy "foi apreciado pelo povo chinês", disse a porta-voz hoje, em entrevista coletiva prévia ao comunicado.

No entanto, Jiang acrescentou que seu país espera "que o presidente e o Governo franceses possam manter a justiça no Tibete e nos Jogos".

A China também espera que a França possa "entender e apoiar as medidas necessárias e justificadas aplicadas pela China para proteger a ordem social, a segurança da vida e a propriedade do povo".

As críticas francesas à repressão chinesa aos protestos ocorridos no Tibete em março estão sendo respondidas na China com um boicote ao Carrefour e manifestações diante de delegações francesas, uma reação que conta com a complacência de Pequim.

"O povo chinês pode expressar seus sentimentos patrióticos de uma forma racional. Mas não estamos de acordo com algumas ações individuais radicais", disse a porta-voz. EFE mz/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG