Pequenos estados insulares serão os grandes afetados pela mudança climática

Nova York, 18 set (EFE).- A WWF alertou hoje que se a Conferência sobre Mudança Climática das Nações Unidas em Copenhague, em dezembro deste ano fracassar, os pequenos estados insulares serão os grandes afetados, já que no futuro correm o perigo de desaparecer sob a água.

EFE |

"A sobrevivência dos pequenos estados insulanos do Pacífico, do Mediterrâneo, do Índico e do Caribe depende que os países mais ricos e poluentes assumam sua responsabilidade de alcançar um acordo ambicioso na próxima cúpula", asseguraram os responsáveis do WWF mediante um comunicado de imprensa.

Segundo a organização, as várias ilhas que se encontram nesses mares e oceanos, apesar de serem as menos poluentes, correm o perigo de serem gravemente ameaçadas "pelos efeitos da mudança climática, que poderia deixar muitos destes estados submersos por causa do aumento das temperaturas no planeta".

O WWF pediu portanto aos líderes mundiais que na próxima semana se reúnem em Nova York por ocasião da 64ª Assembleia Geral das Nações Unidas que prestem atenção aos problemas que enfrentam os estados insulares e sentem as bases para que na Dinamarca se alcance a assinatura de um acordo global em matéria de mudança climática.

Para o WWF, "as pequenas ilhas já sofrem os impactos imediatos da mudança climática, como a inundação de áreas litorâneas, o desaparecimento sob o mar de determinadas ilhas, a diminuição de recursos de água doce, fortes secas, perda de cultivos e aumento das doenças".

O WWF pediu que os líderes mundiais cheguem a um compromisso global para manter "o aumento da temperatura abaixo dos dois graus centígrados", uma marca que deveria ser mais baixa, até ficarem abaixo de 1,5 grau centígrados, como pedem os pequenos estados insulares. EFE dv/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG