Pentágono publicará fotografias que mostram abusos a detidos

Washington, 24 abr (EFE).- O Departamento de Defesa publicará um número substancial de fotografias que mostram os abusos a detidos em prisões dos Estados Unidos no Iraque e no Afeganistão durante o Governo do ex-presidente George W.

EFE |

Bush, informou hoje a União Americana de Liberdades Civis (Aclu, na sigla em inglês).

De acordo com a Aclu, o Governo do presidente Barack Obama concordou, em carta enviada pelo Departamento de Justiça a um juiz federal de Nova York, em divulgar as fotografias no próximo dia 28 de maio.

A decisão do Governo de desclassificar essas imagens dentro de um mês responde a uma disputa interposta pela Aclu em 2004 com base na Lei de Liberdade de Informação dos EUA.

O advogado da Aclu, Amrit Singh, assinalou que as fotos "fornecerão uma prova visual" de que os abusos aos presos "vão muito além das paredes de Abu Ghraib", fechada pelos EUA após se ficar sabendo sobre os maus tratos praticados por soldados americanos contra os detidos nessa prisão.

A publicação das imagens ajudará também os americanos a compreender a necessidade de que os altos cargos do Governo Bush "prestem contas" perante a Justiça por seus atos, disse Singh.

A Aclu afirmou que a Administração anterior se negou a desclassificar essas fotografias alegando que geraria indignação na sociedade e violaria os direitos dos detidos.

Segundo a edição digital da rede "MSNBC", o Pentágono publicará até duas mil fotografias, entre elas "várias dúzias" que recolhem abusos a detidos em Guantánamo e em outras prisões militares no Iraque e no Afeganistão.

As imagens constituirão a primeira prova visual de maus tratos cometidos com presos de Guantánamo.

Há relativamente pouco tempo, deram a volta ao mundo algumas das fotografias mais horríveis sobre os abusos cometidos em Abu Ghraib.

As imagens que serão publicadas no final de maio não serão, no entanto, tão "más" como as da prisão iraquiana, mas também não são "boas" para a imagem dos EUA, assinalou um funcionário à "MSNBC".

Segundo esta fonte, pelo menos uma das fotografias mostra um preso com o rosto voltado para a parede, enquanto guardas aparentemente ameaçam "violentá-lo" com um cabo de vassoura.

Outras mostrariam cenas nas quais supostamente presos são intimidados sob a mira de pistolas, de acordo com fontes citadas pelo jornal "Los Angeles Times".

A notícia da desclassificação das imagens chega depois da publicação na semana passada de quatro documentos nos quais são revelados detalhes sobre práticas coercitivas praticadas a suspeitos de terrorismo em interrogatórios e nos quais advogados do Escritório de Assessoria Legal do Departamento de Justiça justificaram e autorizaram as torturas.

Obama disse que não processará os agentes que aplicaram esses métodos aos presos seguindo as diretrizes de seus superiores, mas deixou aberta a possibilidade de se tomar medidas contra os que legitimaram ou ordenaram os abusos. EFE cae/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG