Pentágono pede redução do isolamento em Guantánamo e solução para uigures

O Pentágono divulgou um relatório, nesta segunda-feira, sugerindo que o isolamento dos detentos na prisão americana de Guantánamo seja reduzido, e pedindo que o governo resolva rapidamente a transferência de 17 chineses uigures, que, por decisão judicial, não podem ser libertados nos Estados Unidos.

AFP |

No documento, o Pentágono aconselha modificações em alguns procedimentos de detenção na base de Guantánamo, como reduzir o isolamento dos presos e permitir que eles tenham mais atividades e interação social.

Além disso, o Pentágono pede que seja resolvida, o mais rápido possível, a situação dos chineses uigures, já que a incerteza sobre sua libertação "aumentou a tensão e a ansiedade na comunidade de prisioneiros".

Libertação

Nesta segunda-feira, Binyam Mohamed, um britânico de nacionalidade etíope libertado da prisão de Guantánamo chegou a Londres. Mohamed foi solto após interrogatório, revelaram as autoridades britânicas.

O avião particular no qual viajou Mohamed aterrissou pouco depois das 13h15 local (10h15 de Brasília) na base aérea militar de Northolt, no noroeste de Londres, segundo as imagens de televisão.

"Estou contente que Binyam Mohamed tenha voltado hoje (segunda-feira) ao Reino Unido após ter sido libertado de Guantánamo", disse o ministro das Relações Exteriores da Grã-Bretanha, David Miliband. O britânico estava detido na prisão americana desde 2004.

"É o resultado direto de nossa demanda por sua libertação e seu retorno, e consequência de intensas negociações com o governo norte-americano", indicou o chefe da diplomacia britânica.

Após chegar ao Reino Unido, Binyam Mohamed foi interrogado pela polícia, como determina a lei antiterrorista, e depois liberado sem qualquer acusação, confirmou a Scotland Yard.

"Foi solto e acabou" o procedimento, declarou um porta-voz da Scotland Yard à AFP.

    Leia tudo sobre: guantánamo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG