Pentágono muda política de incineração de corpos de soldados

Washington, 9 mai (EFE).- O Pentágono ordenou hoje a modificação dos procedimentos para a incineração de corpos de soldados, após a denúncia de que um dos crematórios contratados incinerava seres humanos e animais no mesmo lugar.

EFE |

"Não há missão mais importante que o retorno digno a suas famílias de nossos heróis que caíram em batalha", assinalou Geoff Morrell, porta-voz do Departamento de Defesa, ao fazer o anúncio.

Fontes militares indicaram que não aconteceram incinerações juntas de animais e seres humanos, mas assinalaram que a partir de agora o Departamento de Defesa só utilizará instalações de incineração de casas funerárias.

O crematório que incinerava humanos e animais fica em um necrotério na base Dover da Força Aérea, no estado de Delaware, para onde são transferidos os corpos de militares mortos no Iraque e Afeganistão.

O secretário de Defesa, Robert Gates, pensa que é "insensível e totalmente inadequado para o tratamento digno dos que morreram", disse Morrell.

Ele acrescentou que "o secretário oferece suas mais profundas desculpas aos familiares dos que morreram".

"Este departamento fará todo o possível para respeitar o princípio de que os restos de todos os membros das Forças Armadas sejam tratados com a dignidade e o respeito que exigem seu sacrifício", prometeu.

A denúncia aconteceu depois que um soldado assistiu à incineração de um militar que morreu em combate e disse que o crematório se encontrava em uma zona industrial que anunciava seus serviços para pessoas e animais.

O senador e virtual candidato presidencial do Partido Republicano, John McCain, que é um herói da Guerra do Vietnã, enviou esta semana uma carta a Gates na qual lhe assinalou que a denúncia era "muito preocupante". EFE ojl/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG