Pentágono envia 30 pessoas ao Haiti para trabalhos de resgate

Miami, 13 jan (EFE).- O Comando Sul do Pentágono enviará hoje ao Haiti uma equipe de 30 pessoas integrada por engenheiros militares, planejadores de operações e especialistas em comunicação para apoiar os trabalhos de busca e resgate.

EFE |

A equipe chegará ao Haiti em dois aviões C-130 Hercules e trabalhará com funcionários da Embaixada dos Estados Unidos em Porto Príncipe, haitianos e membros da ONU.

"Nossos pensamentos e orações estão com os haitianos e as vítimas desse devastador terremoto", disse o coronel do Exército James Marshall, porta-voz do Comando Sul, em comunicado.

A equipe do Comando Sul se une a outras operações que começaram hoje no Haiti com o envio de um helicóptero da Guarda Litorânea dos EUA, que evacuou quatro feridos graves para o hospital da base naval americana em Guantánamo (Cuba).

Já a Força Aérea dos EUA chegará hoje ao aeroporto internacional de Porto Príncipe, a capital haitiana, para fornecer apoio no tráfego aéreo e outras operações.

Um avião P-3 Orion da Marinha dos EUA decolou de Comalapa, em El Salvador, para um reconhecimento aéreo das zonas afetadas pelo sismo.

O poderoso terremoto aconteceu às 19h53 (Brasília) de terça-feira e teve epicentro a 15 quilômetros de Porto Príncipe, a capital do Haiti. O primeiro-ministro do país, Jean Max Bellerive, cifrou hoje em "centenas de milhares" o número de mortos.

O Exército brasileiro confirmou que pelo menos 11 militares do país que participam da Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah) morreram em consequência do terremoto, enquanto pelo menos cinco outros ficaram feridos.

A brasileira Zilda Arns, fundadora e coordenadora da Pastoral da Criança, ligada à Igreja Católica, também morreu no terremoto. EFE sob/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG