Um avião de vigilância da Marinha dos Estados Unidos, com problemas intermitentes de navegação, entrou no final de semana passado no espaço aéreo venezuelano, admitiu nesta segunda-feira o Pentágono.


Mais cedo, fontes ligadas ao Pentágono haviam relatado que o avião era um S-3 Viking, com base em Curaçao, que sobrevoou o território venezuelano no sábado à noite, na zona do arquipélago de Los Roques.

O fato teria ocorrido porque houve "problemas no sistema de navegação" da aeronave, que realizava um "exercício de treinamento" de um programa de luta contra o narcotráfico, continuaram as fontes.

A tripulação se comunicou com os controladores de vôo de Maiquetía, aeroporto próximo a Caracas, soube sobre a violação aérea e corrigiu a rota, acrescentou a versão do Pentágono.

A invasão

O chanceler venezuelano, Nicolás Maduro, denunciou nesta segunda que um avião de guerra dos Estados Unidos violou no sábado passado o espaço aéreo do país, e disse ter convocado o embaixador americano na Venezuela, Patrick Duddy, para que dê explicações sobre o incidente.

Em entrevista coletiva conjunta com o ministro da Defesa Gustavo Rangel Gómez, o chanceler revelou que durante sua reunião com Duddy, prevista para esta terça-feira, também pedirá explicações sobre a posição de altos funcionários de seu país a respeito da Venezuela.

(Com informações da AFP)

Leia mais sobre: Venezuela - Estados Unidos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.