Pentágono anuncia venda de armamentos ao Iraque por US$ 11 bilhões

Washington, 1 ago (EFE).- O Pentágono avisou ao Congresso americano que venderá ao Iraque tanques de guerra, aviões, helicópteros e veículos blindados por US$ 10,7 bilhões.

EFE |

O Congresso tem agora prazo de um mês para apresentar objeções às operações, algo que ocorre muito raramente, já que as transações de armamentos e equipamentos militares são estudadas e discutidas com muitos detalhes.

Primeiramente, o Pentágono informou que o Iraque solicitou a venda de 392 veículos blindados leves, em uma operação que poderia chegar a US$ 3 bilhões.

As principais empresas envolvidas no negócio são General Dynamics, Raytheon, Armatec (Canadá), FPI, BAE Systems (Reino Unido) e Oshkosh.

"A venda proposta contribuirá para a política externa e a segurança nacional dos EUA, porque ajudará a melhorar a segurança de um país amigo", indicou o Pentágono.

"A venda de veículos blindados leves reforçará a capacidade das forças iraquianas de obter estabilidade no Iraque", acrescentou.

Outro negócio proposto é a venda de 24 helicópteros, provavelmente de modelos Bell e Boeing, além de artilharia para as aeronaves e que incluem morteiros, mísseis teleguiados, metralhadoras e munição.

Essa possível venda tem fatura de US$ 2,4 bilhões.

Outros US$ 2,160 bilhões pertencem à venda ao Iraque de 140 tanques M1A1, oito tanques M88A2, 64 veículos blindados de alta mobilidade e propósitos múltiplos, 92 caminhões, 12 transportes de posto de comando, 16 veículos de logística, oito ambulâncias blindadas e 420 radiotransmissores e receptores para os veículos.

Nesse caso, "as principais empresas envolvidas serão a General Dynamics, a Honeywell International e a General Motors", completou o Pentágono.

O Iraque, que pelo segundo ano consecutivo segue acumulando lucros substanciais devido à comercialização de petróleo, solicitou ainda seis aviões C-130J-30, motores, sistemas de alerta de mísseis e apoio técnico para a operação das aeronaves.

O custo estimado é de US$ 1,5 bilhão, e as principais empresas envolvidas serão a Lockheed Martin e a Rolls-Royce.

Finalmente, foi notificada ao Congresso assistência técnica ao Iraque para a construção de instalações e infra-estruturas, com valor total de US$ 1,6 bilhão.

A notificação indica ainda que o Corpo de Engenheiros do Exército dos EUA fornecerá serviços técnicos, de engenharia, planejamento, aquisição, manejo de contratos e gerência de construção, entre outros de infra-estrutura. EFE jab/fr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG