Pentágono analisa testes de mísseis do Irã

Washington, EUA - O Pentágono analisa com seus serviços de inteligência o último teste iraniano de mísseis de médio e longo alcance, para investigar os detalhes da operação e saber mais sobre o potencial armamentista do Governo do presidente Mahmoud Ahmadinejad.

EFE |

A entidade do Governo americano afirma que ainda não é possível falar sobre o alcance dos testes até que os detalhes da operação sejam analisados.

Fontes do Departamento de Defesa, citadas pela imprensa local, afirmaram que o Governo americano detectou sete lançamentos de mísseis.

O Irã testou hoje vários mísseis de médio e longo alcance, incluindo um novo capaz de atingir vários alvos no Oriente Médio.

Além do Shihab-3, que pesa uma tonelada, e foi desenhado para alcançar alvos a até 2.500 quilômetros de distância, foram testados outros mísseis balísticos dos tipos Shihab-2 e 3, assim como modelos Fateh e Zelzal.

Os testes, que incluíram aviões não tripulados para missões de combate e reconhecimento, foram feitos durante as manobras que os Guardiões da Revolução iraniana realizam desde a segunda-feira no Golfo Pérsico e no Estreito de Ormuz.


Rede de TV iraniana capta o momento em que míssel é lançado / AP



A operação iraniana causou grande mal-estar nos Estados Unidos, onde o candidato presidencial democrata, Barack Obama, classificou o Irã de "grande ameaça", e defendeu mais sanções contra o país asiático.

"O Irã é uma grande ameaça. Temos que assegurar que trabalhamos com nossos parceiros para pressionar Teerã ainda mais", disse o senador por Illinois ao programa "Good Morning América", da rede de televisão "ABC".

Por sua parte, seu rival republicano na corrida presidencial, John McCain, afirmou que os testes evidenciam o "perigo" representado pelo Irã para seus vizinhos e a região, especialmente para Israel, depois que o Governo de Ahmadinejad ameaçou "queimar" este país.

Em comunicado, McCain destacou a necessidade de dispor de um escudo antimísseis efetivo, "agora e futuramente, a fim de conter as perigosas ambições do Irã".

A estratégia inclui escudos antimísseis na República Tcheca e Polônia, disse.

Na terça-feira, EUA e República Tcheca assinaram um acordo para instalar em solo tcheco um radar do sistema americano antimísseis, apesar das reservas da Rússia.

Leia mais sobre: Irã

    Leia tudo sobre: irã

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG