Publicidade
Publicidade - Super banner
Mundo
enhanced by Google
 

Pelo menos nove mortos em protestos de seita queniana proibida

Pelo menos nove pessoas morreram nesta segunda-feira no Quênia, quando membros da seita proibida Mungiki protestavam contra o assassinato da esposa de seu líder, atualmente na prisão.

AFP |

"Seis membros dos Mungiki foram mortos pela polícia e outras três pessoas pelos Mungiki", disse à AFP uma fonte policial.

O incidente aconteceu na região de Nairóbi.

O corpo da mulher do líder detido da seita foi encontrado mutilado ao lado de outros corpos no centro do Quênia na semana passada.

O líder dos Mungiki, Maina Njenga, foi condenado em junho de 2007 a dois anos de prisão por posse de maconha. As autoridades não conseguiram provar sua culpa nos assassinatos pelos quais ele era acusado.

A seita Mungiki ("multidão" na língua quicuio), declarada ilegal em 2002, é acusada de pelo menos 43 assassinatos desde março de 2007.

A seita, formada em sua maioria por jovens desempregados da etnia quicuio, a principal do país, se inspira nos guerreiros Mau Mau, que se destacaram na guerra de independência do Quênia.

Os atos de violência ocorreram após o anúncio de um governo de coalizão que pretende tirar o país da grave crise política, que desde o fim de dezembro deixou 1.500 mortos e mais de 300.000 deslodados.

bkb/fp

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG