Pelo menos nove alpinistas morrem durante ascensão no Himalaia

Pelo menos nove alpinistas, vítimas da queda de um bloco de gelo, morreram no K2 (8.611 m), a segunda montanha mais alta do mundo depois do Evereste, localizada no extremo-nordeste do Paquistão, anunciou neste domingo o responsável pela expedição.

AFP |

"Posso confirmar nove mortos e três desaparecidos", declarou à AFP Nazir Sabir, diretor da agência Nazir Sabir Expeditions.

"Três sul-coreanos, dois nepaleses, um holandês, um sérvio, um norueguês e um paquistanês morreram", destacou Sabir. Um francês, um austríaco e um paquistanês estão desaparecidos, acrescentou.

"Esta é a pior tragédia no K2 desde 1986, quando 12 alpinistas morreram", lembrou o guia paquistanês.

Mohammad Akram, vice-presidente da organização Adventure Foundation Pakistan, declarou à AFP que uma operação aérea está em andamento para tentar localizar os desaparecidos.

Os alpinistas foram vítimas da queda de um bloco de gelo sexta-feira quando desciam do topo da montanha. O acidente aconteceu em um lugar chamado "Bottleneck", pelo qual os alpinistas precisam passar com a ajuda de cordas, segundo a mesma fonte.

"O acidente poderia ter sido evitado. Essas montanhas atraem muitas pessoas inexperientes e ingênuas", lamentou o alpinista sueco Fredrik Straeng, que participou das operações de resgate.

O K2, uma das montanhas mais perigosas do mundo, foi escalada pela primeira vez até o topo em julho de 1954, pelos alpinistas italianos Achille Compagnoni e Lino Lacedelli.

    Leia tudo sobre: alpinista

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG