Pelo menos 75 mortos em dois dias de confronto no Afeganistão

Pelo menos 75 pessoas foram mortas desde quinta-feira, em diferentes regiões do Afeganistão, nos mais sangrentos confrontos desde o início do ano nesse país.

AFP |

Em dois incidentes separados, quatro soldados canadenses e seu intérprete afegão morreram nesta sexta, vítimas de bombas artesanais, na província de Kandahar, anunciou o Exército canadense em Ottawa. Com esses novos óbitos, sobe para 116 o número de canadenses mortos no país. Oito militares canadenses e um outro intérprete afegão também ficaram feridos nos ataques.

Além disso, cerca de 40 pessoas foram mortas entre ontem e hoje nos combates que explodiram do sul ao norte do Afeganistão, no momento em que o país se prepara para festejar o Ano Novo persa, o Nawroz, que coincide com o Equinócio da Primavera.

Pelo menos 30 insurgentes morreram na quinta, na província de Helmand, um dos principais bastiões dos talibãs no sul do território, onde um deputado afegão, notoriamente hostil a esse grupo, faleceu em um atentado no mesmo dia.

Esse balanço anunciado pelo Exército americano é o mais pesado em mais de dois meses, em uma única operação. Em 7 de janeiro, o Exército dos EUA havia anunciado que as forças da coalizão mataram 32 insurgentes, em uma operação perto de Cabul.

Na quinta-feira, uma patrulha das forças afegãs e da coalizão, sob comando americano, foi atacada "por vários rebeldes que abriram fogo, com arma leve e foguete", de acordo com um comunicado.

A patrulha respondeu, "com apoio aéreo, matando 30 combatentes", completou o texto, acrescentando que um soldado afegão ficou levemente ferido.

Esse balanço não pôde ser verificado por uma fonte independente.

Ontem, os talibãs reivindicaram a autoria do atentado com bomba que custou a vida do deputado Dad Mohammad Khan e de outros quatro homens em Helmand.

O Exército dos EUA também anunciou que outros três insurgentes foram mortos nesta sexta, durante um ataque aéreo realizado contra uma célula que participava da fabricação de bombas, com o objetivo de cometer atentados em Cabul.

O ataque foi realizado pelo Exército afegão e as forças da coalizão na província de Logar, ao sul da capital.

Sete talibãs também foram mortos na província de Farah, no sudoeste, por soldados afegãos e da coalizão, quando se preparavam para atacar a residência do governador Rohul Amin, segundo anúncio feito pelo próprio.

Mais tarde, na mesma província, nove policiais e seis talibãs foram mortos em um ataque atribuído à milícia fundamentalista, ainda de acordo com o governador Amin.

Também em Farah, um outro policial foi morto em um atentado suicida, com um carro-bomba lançado contra uma viatura, completou Amin.

Na província de Jawzjan, uma região do norte do país, normalmente poupada pela insurreição, nove policiais afegãos e um chefe de distrito morreram em confrontos com talibãs, nessa sexta, informou a polícia. Os embates aconteceram no distrito de Koshtipa, na fronteira com o Turcomenistão.

Finalmente, seis talibãs foram mortos hoje pelas forças da coalizão, em diferentes incidentes violentos nas províncias de Kunar, Logar e Helmand.

br/tt/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG