Pelo menos 7 explosões em Yangun na véspera do recurso de Suu Kyi

Bangcoc, 17 set (EFE).- Pelo menos sete explosões foram registradas hoje em uma zona de Yangun, a antiga capital de Mianmar, um dia antes de que os advogados da líder do movimento democrata, Aung San Suu Kyi, apresentem as alegações do recurso contra a condenação a 18 meses de detenção.

EFE |

A rádio estatal birmanesa não informou sobre vítimas nem de danos materiais.

As explosões em cadeia, cuja origem a Polícia investiga e não ofereceu detalhes, aconteceram no norte da cidade, onde estão localizados o bairro residencial no qual se encontra a casa de Suu Kyi e um polígono industrial.

Por outro lado, os meios de comunicação birmaneses, todos eles controlados pela Junta Militar, defenderam hoje que não se permita à opositora birmanesa de 64 anos que assista amanhã à audiência de seu recurso.

O diário A Nova Luz de Myanmar informou que os tribunais de justiça são os que decidem se é necessária a presença do acusado ou não na sala segundo dispõe a Lei.

A Nobel da Paz em 1991 é defendida por uma equipe de três advogados que amanhã argumentará que a condenação do dia 11 de agosto a 18 meses de prisão domiciliar se baseou na Constituição de 1974, apesar desta foi revocada o ano passado.

Suu Kyi leva 14 dos últimos 20 anos confinada em sua casa de Yangun por pedir de forma pacífica reformas democráticas no país.

Os militares que regem Mianmar desde o levante de 1962 não acataram o resultado das eleições parlamentares realizadas em 1990, quando a LND, liderada por Suu Kyi, ganhou com mais de 82% dos votos. EFE grc/fk

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG