Pelo menos 65 imigrantes estão mortos ou desaparecidos no Iêmen, diz Acnur

Genebra, 15 set (EFE).- Pelo menos 65 imigrantes ilegais procedentes da Somália morreram ou desapareceram ao tentar alcançar a costa do Iêmen em três incidentes com embarcações registrados entre domingo e segunda-feira, anunciou hoje o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (Acnur).

EFE |

Segundo a agência da ONU, a morte de 16 pessoas foi confirmada, enquanto as outras 49 que estão desaparecidas também devem ter falecido.

Uma das embarcações que naufragaram transportava 142 pessoas, das quais 98 conseguiram chegar até a costa iemenita.

Outro barco tinha 112 africanos. Os sobreviventes contaram que 13 deles foram mortos pelos traficantes que os transportavam, três deles espancados e outros dez por asfixia depois que foram trancados na sala de máquinas.

No terceiro incidente, informado por uma embarcação de guerra da União Europeia, um barco pequeno que levava 46 pessoas também naufragou. Trinta e oito de seus ocupantes foram resgatados.

Desde o início do ano, 273 pessoas que tentavam vir da África para o Iêmen pelo mar morreram afogadas ou desapareceram. Na maioria dos casos, os traficantes abandonam os imigrantes ilegais quando se aproximam da costa.

Desde janeiro, 860 embarcações com imigrantes clandestinos e 43.586 pessoas fizeram a perigosa travessia rumo ao Iêmen para fugir dos conflitos, da seca e da fome no Chifre da África. EFE vh/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG