Rio de Janeiro, 13 jan (EFE).- O Exército brasileiro confirmou hoje que pelo menos quatro militares do país que fazem parte da força de paz da ONU no Haiti morreram em consequência do forte terremoto de 7 graus na escala Richter que atingiu na terça-feira esse país caribenho.

As vítimas brasileiras já confirmadas foram identificadas como o primeiro tenente Bruno Ribeiro Mário, o segundo sargento Davi Ramos de Lima, e os soldados Antonio José Anacleto e Tiago Anaya Detimermani, segundo um comunicado do Exército.

As quatro vítimas estavam adscritas ao 5º Batalhão de Infantaria Leve com sede na Lorena, no interior de São Paulo.

O Brasil lidera a força da ONU no Haiti, que conta com cerca de 6,7 mil militares procedentes de 17 países, incluindo 1,266 mil brasileiros.

O chefe do Centro de Comunicação do Exército, general Carlos Alberto Barcellos, informou que, no momento do terremoto, os quatro militares mortos estavam fora da base das tropas brasileiras em Porto Príncipe, que não foi atingida pelo tremor.

Segundo o comunicado do Exército, pelo menos outros cinco militares brasileiros ficaram feridos, entre eles o tenente-coronel Alexandre José Santos e o capitão Renan Rodrigues de Oliveira.

O cabo Eugenio Pesaresi Neto sofreu fratura no úmero, o soldado Wellington Soares Magalhães sofreu fraturas no nariz e a clavícula, e o terceiro-sargento Danilo do Nascimento de Oliveira também ficou ferido, acrescenta a nota.

O Exército informou também que os membros da Missão de Paz das Nações Unidas passaram a madrugada resgatando colegas e outras pessoas soterradas.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva já pediu uma avaliação das necessidades mais urgentes para determinar a ajuda humanitária que será enviada pelo Brasil.

Lula também manifestou sua preocupação com os brasileiros que se encontram no país caribenho. EFE cm/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.