Pelo menos 35 rebeldes foram detidos desde início de ofensiva em Diyala

Bagdá, 30 jul (EFE).- Pelo menos 35 supostos insurgentes foram detidos desde o início na terça-feira de uma grande ofensiva militar na província de Diyala, no nordeste do Iraque, informou hoje o porta-voz do Ministério da Defesa iraquiano, Mohammed al-Askari.

EFE |

Segundo a agência de notícias independente "Aswat al-Iraq", Askari disse, em entrevista coletiva, em Bagdá, que durante a operação foram destruídos também doze armazéns de armas e houve a desativação de dez bombas.

O porta-voz disse que, entre os capturados, há oito supostos rebeldes detidos ontem, enquanto tentavam fugir disfarçados de mulheres para a região de Zarzar, na província vizinha de Salah ad-Din.

Askari disse também que alguns insurgentes começaram a fugir para outras áreas próximas a Diyala, por isso os responsáveis militares desta província estão se coordenando com os de Bagdá, Al-Anbar e Salah ad-Din.

Além disso, Askari disse que existe um prazo para o fim das operações, que não especificou, e acrescentou que "as tropas participantes ficarão na província até que cumpram sua missão".

O jornal "Al-Sabah" informou que pelo menos 45.000 efetivos militares iraquianos participam, com o apoio de tropas americanas, da ofensiva, uma das mais importantes lançadas após a queda do antigo regime de Saddam Hussein, em 2003.

Nos últimos meses, Diyala se transformou em um dos principais redutos da rede terrorista Al Qaeda, depois que os membros desta organização foram expulsos de outras províncias pelos Conselhos de Salvação (milícias de voluntários sunitas).

Por outro lado, Askari acusou a Al Qaeda de realizar os três atentados suicidas da segunda-feira passada em Bagdá contra peregrinos xiitas, que deixaram pelo menos 26 mortos e 117 feridos.

EFE am/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG