Pelo menos 35 crianças de menos de dois anos morreram queimadas ou asfixiadas no incêndio de uma creche no estado de Sonora, noroeste do México, na fronteira do estado norte-americano de Arizona, segundo um novo balanço divulgado neste sábado pelo governador do estado.

"Havia 142 crianças na creche. Trinta e cinco morreram, e outras 41 foram hospitalizadas", declarou o governador do estado de Sonora, Eduardo Bours, durante uma entrevista coletiva.

Bours estava em Arizona no momento do incêndio. Ele voltou a Hermosillo na madrugada deste sábado para falar com os sobreviventes e prestar homenagem às vítimas.

A maioria das crianças morreram de asfixia, e 27 "foram identificadas", destacou em comunicado o Ministério Público de Sonora.

As crianças estavam dormindo quando o incêndio se declarou, às 15H00 (17H00 de Brasília) de sexta-feira nesta creche particular localizada em um bairro popular de Hermosillo, a capital do estado de Sonora.

Cerca de 20 crianças foram internadas, algumas em estado grave. Cinco adultos também foram transferidos para estruturas médicas.

A origem do drama ainda não foi determinada oficialmente mas, segundo várias testemunhas, o incêndio teria se declarado em uma loja de pneus ao lado da creche.

Como o acesso pelas portas principais do estabelecimento estava bloqueado, vizinhos tiveram que lançar seus próprios veículos contra as paredes de concreto para derrubá-las e resgatar as crianças. "Ainda é cedo para afirmar os motivos pelos quais as crianças não foram socorridas a tempo", destacou na noite de sexta-feira o porta-voz do MP local, José Larrinaga.

O presidente do México, Felipe Calderon, expressou na noite de sexta-feira sua "profunda dor" e dirigiu suas "mais sinceras condolências às famílias" das vítimas.

Quinze médicos, cirurgiões plásticos e outros especialistas foram enviados a Hermosillo a bordo de três aviões cheios de medicamentos, material de assistência respiratória e outros equipamentos, informou a presidência.

Dezenas de pais que estavam na creche na hora da tragédia correram para os hospitais do estado, que lançaram um apelo a doações de sangue.

Peritos do MP de Sonora estão investigando no local do incêndio, onde interviram os bombeiros, a Cruz Vermelha, a Proteção Civil e a polícia, destacaram na noite de sexta-feira as forças da ordem.

"Onde está Deus? Onde está Deus?", exclamou, aos prantos, um comandante que saía da creche, ao ser questionado sobre a tragédia.

ol/yw

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.