Zamboanga (Filipinas), 7 jun (EFE).- Pelo menos 30 membros do grupo separatista Frente Moro de Libertação Islâmica (FMLI) foram mortos durante operações militares nos últimos dias contra um acampamento rebelde em Mindanao, nas Filipinas.

O ataque contra o posto rebelde, com participação de artilharia e aviação, culminou com a captura no sábado do acampamento, na província de Maguindanao e cerca de 950 quilômetros ao sudeste de Manila, confirmou hoje o porta-voz militar, o tenente-coronel Jonathan Ponce.

Além das vítimas fatais, os confrontos deixaram 20 feridos entre membros do FMLI e cinco entre as tropas.

A base de supostos membros renegados do FMLI, na qual se calcula haviam cerca de 200 rebeldes, continha 20 bunkers e estava rodeado de trincheiras, por isso que se recorreu ao bombardeio antes do ataque das tropas, explicou o porta-voz.

O militar relacionou também três explosões sem vítimas ocorridas no sábado em Maguindanao com tentativas dos rebeldes de distrair as forças de segurança das operações de acompanhamento.

O FMLI, fundado em 1984 e que negocia a paz com o Governo, é a maior organização separatista das Filipinas, com mais de 12 mil militantes que lutam a favor de um estado islâmico independente em Mindanao. EFE rp/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.