Pelo menos 28 mortos e dezenas de desaparecidos em acidente aéreo no Sudão

Pelo menos 28 pessoas morreram e dezenas estão desaparecidas em um acidente envolvendo o avião da Sudan Airways que se incendiou na terça-feira no aeroporto de Cartum, segundo as últimas informações divulgadas nesta quarta-feira pelas autoridades do país, que ainda investigam as causas da tragédia.

AFP |

"Até agora há 28 corpos no necrotério de Cartum", afirmou Taher al Haj Ibrahim, diretor da Administração Geral de Investigações, citado pela televisão estatal.

Na noite de terça-feira, os canais de televisão haviam anunciado que quase metade dos 203 passageiros haviam morrido quando a aeronave, um Airbus A310 procedente de Amã via Damasco, pegou fogo após a explosão de uma de suas turbinas durante o pouso. Onze tripulantes estavam a bordo.

"Até agora, registramos 121 sobreviventes", acrescentou Haj Ibrahim. Vinte e dois estavam feridos.

"Consideramos que os outros estão desaparecidos, mas de acordo com nossas informações, alguns passageiros voltaram para suas casas depois da recontagem", acrescentou.

O avião da companhia nacional Sudan Airways saiu da pista e pegou fogo. Contudo, ainda não se sabe as causas do acidente, e uma comissão investigadora está trabalhando no caso, segundo os canais de TV locais.

De acordo com o ministro de Transporte, Mabruk Mubarak Salim, "o clima é uma das principais causas" do acidente, já que na terça-feira a capital era afetada por fortes chuvas.

O avião pousou sem problemas às 20h45 (14h45 de Brasília) em Cartum, mas "logo derrapou e pegou fogo", de acordo com um diretor da Aviação Civil, Al Cheikh el Fakih.

Um sobrevivente, Ibrahim Saleh, que estava na parte de trás do avião, disse à AFP que depois das medidas para retirar os passageiros, "ainda havia muita gente na aeronave".

"O pouso foi muito difícil", declarou à AFP Awad Mohamed Idris, outro sobrevivente. "Quando pousou, o lado direito pegou fogo e as chamas começavam a entrar na aeronave", explicou.

Esta é uma das maiores catástrofes dos últimos anos no Sudão.

Em julho de 2003, 115 pessoas, incluindo um alto funcionário militar e oito estrangeiros, perderam a vida em um acidente aéreo no leste do país.

A frota do Sudão é antiga e as companhias aéreas não conseguem comprar peças de reposição devido às sanções americanas, segundo as autoridades. Os Estados Unidos, que consideram o Sudão um país apoiador do terrorismo, impõem sanções econômicas contra o país.

iba/fb/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG