Mortes aconteceram em menos de dois dias, segundo grupos opositores

Pelo menos 21 pessoas morreram entre sábado e este domingo em protestos na Síria pela repressão das forças do regime de Bashar al Assad, revelaram grupos opositores.

Segundo os chamados Comitês de Coordenação Local na Síria, 20 pessoas morreram antes da passada meia-noite, enquanto uma pereceu depois. Anteriormente, as organizações opositoras tinham informado de 14 mortos durante a jornada de protestos de sábado (10) em diversas localidades do norte e centro do país.

O número de vítimas atualizado foi confirmada também pelo Observatório Sírio de Direitos Humanos, que acrescentou que entre os mortos está o conhecido ativista Ghiaz Matar, que morreu na localidade de Daraya, em Rif Damasco.

Os Comitês destacaram que na noite de sábado continuaram as manifestações na área de Rif Damasco, onde se registraram batidas policiais e as forças de segurança dispararam contra os participantes dos protestos no município de Artouz.

Enquanto isso, nas cidades centrais de Homs e Hama, milhares de cidadãos pediram a queda do regime de Assad. Estas informações não puderam ser verificadas independentemente pelas restrições que as autoridades sírias impuseram aos jornalistas para trabalhar.

Desde que começaram os protestos em meados de março passado, pelo menos 2.105 civis e 542 soldados morreram pela repressão do regime de Assad, segundo a apuração do Observatório.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.