Pelo menos 16 rebeldes das Farc morrem em bombardeios e combates

(atualiza com número de guerrilheiros mortos). Bogotá, 25 jul (EFE).- Pelo menos 16 guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), entre eles dois chefes de uma frente, morreram em bombardeios e combates com militares colombianos na região de Llanos Orientales, no centro-oeste do país, confirmaram hoje fontes oficiais.

EFE |

As tropas, com apoio da Força Aérea (FAC), "localizaram e desarticularam um acampamento da frente 43 das Farc, onde (...) 16 terroristas foram mortos e abundante material de guerra e logístico foi apreendido, na operação militar 'Salvador'", apontou um relatório do comando militar.

A ação contra a frente das Farc foi registrada em uma propriedade rural entre as cidades de Porto Rico e Vista Hermosa, no departamento de Meta, a cerca de 280 quilômetros ao sudeste de Bogotá.

Na operação, morreu o cabo Júber Hernando Rojas Alberto, da Brigada de Aviação do Exército.

Entre os rebeldes mortos, segundo o relatório, estão o guerrilheiro conhecido como "Negro Alberto", líder da frente 43; o segundo chefe da facção, conhecido como "Nacho" e "Arnoldo", ligado a "Macaco Jojoy", líder militar das Farc.

"Combatendo, como sempre, e com apoio da FAC, conseguimos atingir de forma muito importante a quadrilha 43, que mantém a segurança de 'Macaco Jojoy'", disse o comandante das Forças Militares, general Freddy Padilla de León, a jornalistas.

O alto oficial viajou de Bogotá, acompanhado de jornalistas, a um posto de comando na zona, de onde se coordena a "Operação Salvador".

As tropas recuperaram os corpos dos 16 guerrilheiros mortos.

Além disso, apreenderam 11 fuzis, seis pistolas, um lança-granadas, 38 granadas, 16 minas, 11 equipamentos de rádio e diversos documentos, além de munição de armas de diversos calibres.

O general Padilla de León, que ocupa o cargo de ministro da defesa interinamente, expressou seu pesar pela morte do suboficial e felicitou os militares que participaram na operação.

"Macaco Jojoy" ou "Jorge Briceño Suárez", cujo verdadeiro nome é Víctor Julio Suárez Rojas, é o líder militar das Farc.EFE rrm/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG