Pelo menos 140 morrem em conflitos tribais no sul do Sudão

Cartum, 7 jan (EFE).- Pelo menos 140 pessoas morreram e outras 90 ficaram feridas nos últimos cinco dias em conflitos tribais no sul do Sudão, informou hoje a rádio da ONU em Cartum.

EFE |

Segundo a emissora, um governador local da área onde ocorreram os choques disse que os enfrentamentos foram entre a tribo Dinka, a maior do sul do país, e grupos armados do clã Nuer.

O governador explicou que os combates se desencadearam depois que, no sábado passado, homens armados da tribo Nuer atacaram um grupo de pastores Dinka e roubaram 5 mil cabeças de gado.

A ONU afirmou na semana passada que mais de 2 mil pessoas morreram em 2009 em choques tribais na região autônoma do Sul do Sudão.

Dirigentes do Governo autônomo do sul acusam as autoridades centrais de armar as tribos do local para gerar o caos na região antes das eleições programadas para este ano.

O conflito do sul do Sudão estourou em 1983, quando o regime de Cartum impôs a sharia (lei islâmica) em todo o país e os rebeldes do sul, de maioria cristã e animista, iniciaram um levante armado.

A guerra terminou em 9 de janeiro de 2005, quando o Governo sudanês e os rebeldes assinaram um acordo de paz, que pôs fim a 21 anos de uma guerra que causou a morte de 2 milhões de pessoas. EFE nz/sa-an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG