Pelo menos 10 pessoas morrem em perseguição a membro da cúpula das Farc

(atualiza com novo número de mortos e acrescenta detalhes) Bogotá, 23 mai (EFE).- Cinco militares colombianos e cinco guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) morreram hoje em uma operação das tropas que perseguem o chefe rebelde Alfonso Cano nas montanhas do centro da Colômbia, informaram hoje fontes oficiais.

EFE |

Os combates foram registrados no município de Cajamarca (300 quilômetros ao oeste de Bogotá), onde se desenvolve uma ampla operação desde o começo do ano contra um grande reduto das Farc.

Os soldados interceptaram membros da frente 25 das Farc que pretendiam bloquear a via que liga a capital colombiana com Buenaventura, o principal porto sobre o Pacífico.

"A partir das duas da manhã de hoje foram registrados confrontos armados onde morreram cinco integrantes das Farc. Infelizmente, um suboficial e quatro soldados foram assassinados", informa um comunicado oficial.

Além disso, três soldados ficaram gravemente feridos, que foram levados para um centro médico da cidade vizinha de Ibagué (centro).

O comandante da Sexta Brigada do Exército, coronel Ramiro Castillo, disse que quatro dos militares morreram por causa dos ferimentos da ação militar e outro mais, por uma pedra que caiu em cima dele durante o confronto.

Nessa região, o Exército colombiano apoiado por aviões de combate da Força Aérea persegue Guillermo León Sáenz, conhecido como "Alfonso Cano", segundo analistas o possível sucessor no comando do grupo rebelde quando seu chefe histórico morrer, Pedro Antonio Marín, conhecido como "Manuel Marulanda".

As operações contra o anel de segurança de "Alfonso Cano" deixou como resultado até agora este ano 69 guerrilheiros mortos, 47 capturados e 12 desmobilizados. EFE gta/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG