Pelo menos 10 mortos em segundo ataque dos EUA em dois dias no Paquistão

Islamabad, 9 set (EFE).- Cerca de dez pessoas morreram no segundo ataque com mísseis em dois dias supostamente perpetrado por um avião não-tripulado dos EUA nas áreas tribais do noroeste do Paquistão, informaram hoje diferentes meios de comunicação, que recolheram denúncias de vítimas civis.

EFE |

Segundo fontes citadas por vários canais televisivos paquistaneses, o ataque aconteceu nesta terça-feira à noite na zona de Tabi Saidgai, situada na demarcação tribal do Waziristão do Norte, na fronteira com o Afeganistão.

Os mísseis atingiram a residência de um suposto insurgente, mas causou danos à várias casas próximas, segundo a cadeia privada "Dawn TV", que situou o número de mortos em 12.

O canal tomou o testemunho de vários aldeões que asseguraram que alguns cadáveres ficaram carbonizados e que entre os falecidos havia três crianças e duas mulheres.

Na segunda-feira, entre cinco e sete pessoas tinham morrido em uma ação militar similar contra um complexo insurgente na mesma região.

Os aviões espiões dos EUA realizam com frequência ataques nas áreas tribais paquistaneses, sobretudo nas demarcações do Waziristão do Norte e Waziristão do Sul, consideradas também refúgio de membros da rede terrorista Al Qaeda.

Um destes ataques acabou, no início de agosto, com a vida do líder máximo dos talibãs paquistaneses, Baitulah Mehsud, e deu passagem a uma disputada transição de poder no seio do movimento insurgente, que agora lidera Hakimulah Mehsud, colaborador do falecido líder.

O Paquistão rejeita em público os ataques, mas diversas fontes tanto paquistaneses como dos EUA confirmaram a Efe que existe um consentimento tácito e que os serviços de inteligência de ambos os países compartilham informação sobre os alvos. EFE igb/fk

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG