HELSINQUE - O estudante finlandês Matti Saari, de 22 anos, que na terça-feira matou 10 pessoas em sua escola e cometeu suicídio, deixou na Internet uma trilha de mensagens de ódio e vingança. Mas segundo uma colega de classe, o aluno do curso técnico de turismo e gastronomia em Kauhajoki (oeste da Finlândia) não se parecia com o perfil habitual do homicida solitário. http://ultimosegundo.ig.com.br///multimidia//galeria_de_fotos/2008/09/23/massacre_na_finlandia_158850.html target=_topVeja a galeria de fotos do massacre na Finlândia Perfil: http://ultimosegundo.ig.com.br/bbc/2008/09/23/atirador_finlandes_gostava_de_videos_sobre_columbine_1934521.html target=_topatirador finlandês gostava de vídeos sobre Columbine http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2008/09/23/porteiro_da_escola_finlandesa_descreve_as_cenas_de_panico_1933949.html target=_topOuvi gritos de dor. Foi horrível, diz porteiro da escola

Acordo Ortográfico

"Ele era um cara feliz, sociável, não tinha nada de excepcional. Se dava bem com as pessoas e não era solitário, tinha amigos", contou Susanna Keronen.

Em seu perfil na rede de relacionamentos irc-gallery, Saari, que vivia sozinho com um gato, se apresentava como um misantropo convicto. Em alguns posts, ele falava de guerra e vingança.

As mensagens deixadas por Saari lembram muito as do estudante Pekka-Eric Auvinen, que em novembro matou seis colegas, o diretor da escola Jokela e uma enfermeira depois de deixar um vídeo antecipando seus planos. Desde então, a polícia passou a monitorar sites com mais atenção.

Saari e Auvinen tinham em comum a adoração pela banda de rock industrial KMFDM, e ambos passaram suas últimas horas na Internet - entraram no irc-gallery e em seguida foram para a escola, matar seus colegas.

Saari, que se dizia ateu, afirmou no myspace.com que gostaria de fazer amigos e relacionamentos. Em outros sites, ele expressava pensamentos mais sombrios e especulava sobre soluções definitivas para os problemas da humanidade.

Citando a letra da canção "War" ("guerra"), da banda Wumpscut, Saari escreveu no seu site do YouTube: "A vida inteira é guerra e a vida inteira é dor, e você lutará sozinho na sua guerra pessoal."

Em vários sites, esse fã de filmes de terror citava computadores, armas, sexo, cerveja e bateria entre seus hobbies, e sempre citava bandas de heavy metal como as suas favoritas.

Ele publicou uma foto de sua pistola Walther P22 Targe e a citou num site de relacionamentos. Saari escreveu também que procurava uma mulher, mas não queria filhos.


Policiais da Finlândia cercam escola após disparos / AP

Interrogado na última semana

A ministra do Interior, Anne Holmlund, revelou nesta terça-feira que o atirador foi interrogado na segunda-feira pela polícia por ter colocado um vídeo no Youtube que o mostrava praticando tiros.

"A polícia estava sob alerta e falou com ele na segunda-feira, dia 22 de setembro. No entanto, o policial encarregado decidiu que não era necessário cassar a licença de armas dele", disse a ministra.

O estudante obteve uma "licença temporária" para uma arma de calibre 22, acrescentou.

O jovem entrou no YouTube apenas duas horas antes do tiroteio. Em seu perfil de usuário, se descrevia como um jovem interessado em "computadores, armas, sexo e cerveja", com predileção pelos filmes de terror.


Fotos do autor dos disparos publicadas no YouTube e divulgadas pela polícia / AFP

Outros casos

O tiroteio em Kauhajoki lembra um incidente semelhante de novembro do ano passado, quando um estudante de 18 anos provocou um massacre em um instituto de Tuusula, no sul da Finlândia, ao abrir fogo e matar oito pessoas.

As vítimas daquele tiroteio foram seis alunos, a diretora do instituto e a enfermeira do centro de ensino, assim como o autor dos disparos, que morreu em um hospital de Helsinque horas disparar um tiro contra a própria cabeça.

Assista ao vídeo abaixo:

Leia também:

Leia mais sobre: Finlândia

* Com AFP e EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.