Peixe é capturado em profundidade recorde

Cientistas capturaram um peixe a uma profundidade recorde de 2,3 mil metros na Dorsal Meso-Atlântica, uma cadeia de montanhas submarina que fica no Oceano Atlântico. O peixe, da espécie Pachycara saldanhai, foi encontrado em uma fonte hidrotermal na cordilheira marinha.

BBC Brasil |

Um novo aparelho com o nome de Periscop manteve o animal na sua pressão natural, permitindo que ele pudesse ser trazido para a superfície com vida.

Isso permitiu aos cientistas estudarem melhor o comportamento do peixe, afirmaram pesquisadores na publicação científica Deep-Sea Research.

"A captura pressurizada já existe há 30 anos, mas esta foi a mais profunda - o recorde anterior era de 1,4 mil metros. É também a primeira vez que uma captura pressurizada aconteceu em uma fonte hidrotermal," diz Bruce Shillito, biólogo marinho da Universidade Pierre et Marie Curie, em Paris, França.

Os pesquisadores também trouxeram à superfície duas espécies de camarão que foram capturados a 1,7 mil metros de profundidade (Mirocaris fortunata e Chorocaris chacei) e uma achada a 2,3 mil metros de profundidade (Rimicaris exoculata), também em fontes hidrotermais na Dorsal Meso-Atlântica.

Bruce Shillito explica que "a mais de mil metros de profundidade, é difícil capturar animais vivos. Capturar sem pressurização é o mesmo que capturar um animal morto".

Na superfície, sob pressão, o peixe Pachycara saldanhai permaneceu ativo, mas quando a pressão foi diminuída, os movimentos dele se tornaram descoordenados e, após alguns minutos, ele ficou totalmente imóvel.

O Periscop foi desenvolvido por Shillito e Gerard Hamel, engenheiro mecânico da Universidade Pierre et Marie Curie.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG