Pedófilo escapa de castigo corporal em Cingapura por ter mais de 50 anos

KUALA LUMPUR - Um homem que abusou sexualmente de seis meninas, entre elas um bebê de 1 ano, foi condenado a dez anos de prisão em Cingapura, mas escapou de cumprir castigo corporal por ter completado 50 anos, informou nesta terça-feira a imprensa local.

EFE |

Salim Abdul Rahman confessou os crimes, mas por ter completado 50 anos no último dia 20, o juiz não pôde ordenar o castigo corporal, pois a lei estabelece que eles só podem ser aplicados aos que tenham idade inferior à dele, segundo o diário "The Straits Times".

Rahman confessou que abusou das seis meninas por conta de sua "ânsia incontrolável" por relações sexuais com jovens "pelo menos uma vez por semana".

Após ser avaliado por um psiquiatra, foi condenado a dez anos de prisão sem possibilidade de solicitação de liberdade condicional.

Brunei, Malásia e Cingapura ainda aplicam a alguns criminosos o castigo corporal com um chicote, herança de quando os três territórios foram parte do Império Britânico.

Leia mais sobre: Cingapura

    Leia tudo sobre: cingapurapedofilia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG