Pedófilo belga Marc Dutroux é transferido de prisão de segurança máxima

Bruxelas, 28 dez (EFE).- O pedófilo belga Marc Dutroux, condenado à prisão perpétua em 2004 por seqüestrar, torturar e abusar sexualmente de uma série de crianças e jovens, foi transferido da prisão de segurança máxima onde estava sem uma explicação oficial.

EFE |

Segundo o site do grupo de jornais "Sud Presse", a mudança ocorreu no dia 24 de dezembro, véspera de Natal, na "mais absoluta discrição".

Dutroux estava na prisão de Ittre, cerca de 30 quilômetros ao sul de Bruxelas, e foi levado à de Nivelles, mais ao sudeste.

O presídio de Ittre, inaugurado em 2002, é de segurança máxima, tem muros de concreto de seis metros de altura e a maior parte de suas celas é individual.

A imprensa belga porque o pedófilo, considerado inimigo público número um no país, deixou o local rumo a uma prisão considerada "mais agradável" e que trata os presos de forma menos severa.

Um sindicalista da prisão de Ittre citado na matéria comentou que a decisão tanto pode ser uma iniciativa da Procuradoria como "a um novo capricho de Dutroux".

Há pouco mais de um ano, foi revelado o conteúdo de uma carta de Dutroux em que ele reclamava a um amigo holandês de suas condições de detenção.

Apesar das fortes medidas de segurança que o cercaram desde sua detenção, em 23 de abril de 1998, ele fugiu do Palácio de Justiça de Neufchâteau, aonde tinha chegado algemado e escoltado para prosseguimento do julgamento. Ele acabou pego três horas mais tarde, em uma floresta.

Marc Dutroux foi condenado à prisão perpétua em 22 de junho de 2004 pelo assassinato de duas jovens e de seu cúmplice, Bernard Weinstein.

O júri do Tribunal da província de Luxemburgo também o declarou culpado pelo estupro de três jovens imigrantes eslovacas. EFE jms/dp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG