Peça encontrada no mar não é do Airbus, diz Aeronáutica

O Comando da Aeronáutica informou, na noite desta quinta-feira, que a única peça resgatada do mar pelas equipes de buscas até o momento não pertence ao Airbus da Air France que desapareceu no Oceano Atlântico no último domingo. De acordo com a Aeronáutica, um helicóptero da fragata Constituição, que participa das operações de buscas, retirou do mar, nesta quinta-feira, uma peça de madeira com cerca de 1,2 m.

BBC Brasil |

Análises posteriores, no entanto, demonstraram que a peça não fazia parte da estrutura da aeronave.

"Qualquer objeto que nós encontrarmos, nós vamos fazer o recolhimento, depois fazer a análise e descartar aqueles que não façam parte da aeronave", disse o brigadeiro Ramon Cardoso, diretor do departamento de Controle do Espaço Aéreo da Aeronáutica.

Óleo
A mancha de óleo identificada na última quarta-feira pelos aviões da Força Aérea Brasileira também foi analisada e, de acordo com a Marinha, ainda não é possível afirmar que o líquido foi despejado pela aeronave da Air France.

Já o brigadeiro da Aeronáutica foi enfático e descartou a possibilidade de que o óleo seja do avião.

"Era óleo mesmo, e não querosene", disse o brigadeiro Cardoso, que afirmou que o mais provável é que o líquido seja de um navio. Existem ainda manchas menores, com indicação de querosene, que ainda serão analisadas.

Na última quarta-feira, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, havia dito que o óleo no mar indicava que o Airbus não teria explodido.

Com isso, ainda não é possível afirmar que os destroços que foram encontrados nas buscas são do avião da Air France, que desapareceu na noite de domingo no trajeto entre o Rio de Janeiro e Paris.

Segundo o brigadeiro Cardoso, nenhum outro material encontrado no mar foi recolhido, pois, até esta quinta-feira, a prioridade era "encontrar corpos".

"Agora, nós vamos dar uma atenção maior para o recolhimento dos destroços", disse Cardoso.

De acordo com o brigadeiro, o plano de buscas para esta sexta-feira vai depender do que a aeronave R-99, equipada com um radar, avistar durante a madrugada.

"As condições (de voo) não estão boas. Temos tempestades e formação de gelo. Mas vamos continuar com as buscas", disse.

Área
Em um comunicado divulgado na noite desta quinta-feira, o Comando da Aeronáutica afirmou que os aviões que participam das operações de buscas percorreram uma área de 185.349 km², equivalente ao Estado do Acre, durante o dia.

"Aeronaves continuaram avistando vestígios isolados nas áreas de buscas, tais como manchas de óleo e boias", diz o comunicado.

"Tudo o que foi localizado na superfície do oceano mereceu atenção por parte das aeronaves".

Três navios da Marinha estão também na área para resgatar eventuais destroços localizados, segundo o Comando da Aeronáutica.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG