Paulson se nega a estender plano de resgate a montadoras dos EUA

Washington, 12 nov (EFE).- O secretário do Tesouro americano, Henry Paulson, deixou hoje claro que não estenderá o plano de resgate ao setor automobilístico, apesar de reconhecer que a indústria precisa de uma solução, pois é muito importante e crucial para o país.

EFE |

Paulson compareceu hoje em coletiva de imprensa para dar uma atualização da evolução do plano de resgate de US$ 700 bilhões que o Governo aprovou em setembro para tirar o setor financeiro da crise.

O secretário do Tesouro ressaltou que ele e o Governo George W.

Bush consideram a indústria automobilística "muito importante e essencial para o país" e que todo o Executivo "apóia" as montadoras.

"Precisamos de uma solução, mas esta solução tem que ser viável" disse Paulson, que ressaltou que "o plano de resgate foi desenhado para o setor financeiro".

Para Paulson, "uma idéia" para uma possível solução ao problema do setor seria modificar a lei aprovada em setembro pelo Congresso para facilitar US$ 25 bilhões em empréstimos à indústria sob um programa de incentivos que viabilizasse maior produção de veículos menos poluentes.

"Esse programa poderia ser modificado para liberar mais fundos" para o setor automobilístico, disse o secretário do Tesouro.

As declarações de Paulson acontecem dois dias depois que Barack Obama e Bush se reunissem na Casa Branca, oportunidade que o próximo presidente dos EUA aproveitou para pressionar o Governo para que ajude de maneira imediata a indústria automobilística. EFE cai/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG