Paulson pede pressa na aprovação de pacote

O secretário do Tesouro americano, Henry Paulson, pediu que o Congresso se apresse para aprovar um pacote de US$ 700 bilhões para combater a pior crise dos mercados financeiros das últimas décadas. Paulson planeja criar um fundo para comprar a maior parte dos papéis podres - dívidas que, neste momento, têm pouco valor de mercado - das instituições financeiras em todo o mundo, desde que elas tenham presença significativa nos Estados Unidos.

BBC Brasil |

Falando à TV americana, o secretário do Tesouro afirmou que a turbulência no mercado foi uma "experiência de humildade".

Ele pediu ainda que outros países adotem esquemas semelhantes para aumentar a confiança dos investidores.

"Eu não apostaria contra o povo americano, e eu não apostaria contra os valores fundamentais deste país a longo prazo."
"Mas é uma experiência que traz humildade ver tanta fragilidade no mercado de capitais e se perguntar como chegamos até aqui", disse Paulson ao programa da NBC Meet the Press (Encontro com a Imprensa, em tradução livre).

Representantes do Congresso e do Departamento do Tesouro têm se reunido durante o fim de semana para preparar o pacote que deve ser transformado em lei já nos próximos dias.

Resgate internacional
De acordo com o esboço do plano, instituições financeiras com "operações significativas nos EUA" poderão vender ou leiloar seus papéis podres para o fundo do Tesouro.

O fundo tem como objetivo vender essas dívidas no futuro.

No sábado, o presidente americano, George W. Bush, defendeu o plano, afirmando que o custo para o contribuinte, de resgatar os mercados, era melhor do que a perda de empregos e diminuição das aposentadorias.

"Estou convencido de que esta estratégia corajosa vai custar às famílias americanas muito menos do que a alternativa", disse Bush.

"Mais pressão sobre nossos mercados poderia causar perdas massivas de empregos, devastar contas de aposentadorias, diminuir ainda mais o valor das casas e secar os empréstimos para novas casas, carros, ou taxas de universidades."
Regulamentos
O Tesouro divulgou poucos detalhes sobre o ambicioso plano de resgate, além do custo estimado deste pacote e quem pode se beneficiar do esquema.

Paulson pediu ao Congresso que aprove um aumento do limite da quantia que o governo pode pegar emprestado para US$ 11,3 trilhões (de US$ 10,6 trilhões), para cobrir os custos.

Analistas afirmam que as discussões agora giram em torno dos detalhes, como por exemplo, o quanto o Tesouro vai pagar pelos papéis podres dos bancos.

Alguns membros do Congresso parecem desconfortáveis em usar o dinheiro do contribuinte para comprar centenas de bilhões de dólares em papéis podres, afirma o editor da BBC para a América do Norte, Justin Webb.

Mas o líder do Partido Democrata na Câmara dos Representantes, Steney Hoyer, disse que espera que o Congresso aja rapidamente.

Após uma turbulenta semana, os mercados em todo o mundo fecharam em alta com o anúncio do plano de resgate.

O secretário do Tesouro americano disse ainda que o governo americano vai agir para aumentar o capital disponível para empréstimos para a compra de novas casas.

Passado este período difícil, disse Paulson, a nova tarefa do governo será inspecionar as regulações dos bancos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG