Paulson diz que americanos terão de se resignar a perder imóveis

Washington, 8 jul (EFE).- O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Henry Paulson, disse hoje que muitos americanos terão que se resignar a perder seu imóvel, apesar dos esforços feitos pelo Governo para impedir isso.

EFE |

Em um fórum para analisar a crise hipotecária realizado em Arlington (Virgínia), Paulson disse que os baixos requisitos que caracterizaram o até então afortunado mercado imobiliário permitiram a muitos comprar imóveis que não podiam pagar.

"No atual e incomum alto número de execuções hipotecárias, há muitas que não poderão ser evitadas. É pouco o que as autoridades podem ou deveriam fazer para resolver decisões financeiras insustentáveis", acrescentou.

Segundo as autoridades do Governo do presidente George W. Bush, durante o ano passado iniciaram 1,5 milhão de execuções dos empréstimos para imóvel, já que os proprietários não puderam pagar a parcela hipotecária mensal.

Analistas no mercado imobiliário previram que este ano o número de execuções hipotecárias aumentará para 2,5 milhões.

Paulson disse que, logo no inicio da crise no final do ano passado, o Governo e um grupo da indústria chamado New Hope centraram os esforços em reduzir o que qualificou de execuções evitáveis com receptores de empréstimos que têm algum recurso financeiro.

Ao mesmo tempo, incentivaram os bancos e órgãos financeiros a modificarem as taxas de juros ou os prazos dos empréstimos hipotecários.

Paulson afirmou que esses esforços tiveram êxito em muitos casos e que permitiram que 1,7 milhão de proprietários conseguissem permanecer em suas casas.

Fontes da indústria imobiliária disseram que o número de hipotecas aumentou rapidamente após uma queda no valor dos imóveis.

Como resultado, muitos de seus proprietários não puderam vendê-las, porque o valor de mercado era mais baixo que o montante da dívida hipotecária.

Essa situação reduziu o ritmo de construção e empurrou os valores das casas para uma queda maior. EFE ojl/rb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG