"Paula" se afasta de Honduras e se transforma em furacão

Furacão é o 9º do ano no Atlântico e está com ventos de cerca de 120 km/h

EFE |

O furacão Paula, que representava uma ameaça para o Caribe hondurenho, se afastou nesta terça-feira do litoral de Honduras deixando fortes chuvas em quatro departamentos no Caribe, informou uma fonte oficial.

O titular da Comissão Permanente de Contingências (Copeco), Lisandro Rosales, disse a jornalistas que, como tempestade tropical, "Paula" causou temporais que, em algumas regiões, oscilaram entre 150 e 200 milímetros de água.

Paula se transformou ontem em tempestade tropical ao longo da costa hondurenha, na fronteira com a Nicarágua, o que levou as autoridades da Copeco a decretaram alerta preventivo em seis dos 18 departamentos do país.

Hoje, Paula tornou-se o 9º furacão da temporada do Atlântico ao aumentar seus ventos máximos sustentados para 120 km/h, enquanto se aproxima do leste do Iucatã (México), informou o Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos.

O órgão indicou em seu boletim das 8h desta terça-feirae (horário de Brasília) que Paula é um ciclone de categoria 1 na escala de intensidade de Saffir-Simpson, cujo máximo é 5, e está localizado a 310 quilômetros ao sul-sudeste de Cozumel, na península do Iucatã.

No momento do anúncio, o ciclone apresentava ventos máximos sustentados de 120 km/h e se deslocava em direção noroeste com uma velocidade de translação de 17 km/h.

Os meteorologistas preveem que o fenômeno meteorológico fará um giro em direção ao norte-noroeste e o centro de "Paula" "se aproximará da costa leste da península do Iucatã entre esta noite e a manhã de quarta-feira". "É possível que haja algum fortalecimento adicional nos próximos dois dias", acrescentou o boletim.

O Governo do México emitiu um aviso de furacão (que antecipa as próximas 36 horas) desde Punta Gruesa até Cabo Catoche, incluindo Cozumel. Espera-se que Paula lance intensas chuvas sobre regiões do leste do Iucatã e partes do oeste e centro de Cuba.

Os meteorologistas advertiram também para a possibilidade de inundações na costa leste do Iucatã. Durante a atual temporada de furacões, foram formadas 16 tempestades, das quais nove se transformaram em furacões, incluindo o Paula.

Deste total, quatro alcançaram a categoria 4 na escala de intensidade de Saffir-Simpson. A Administração Nacional de Oceanos e Atmosfera dos EUA (NOAA, na sigla em inglês) revisou sua previsão e indica para a formação de 14 a 20 tempestades e de 8 a 12 furacões, que podem afetar os Estados Unidos, o Caribe, a América Central e o Golfo do México.

Os meteorologistas previram que esta será uma temporada "muito ativa", já que, entre esses furacões, de quatro a seis podem ser de grande intensidade, com ventos superiores a 177 km/h.

    Leia tudo sobre: furaçãotempestadepaula

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG