Cidade do Vaticano, 18 out (EFE).- Pela primeira vez na história um patriarca ortodoxo, Bartolomeu I de Constantinopla, falou e rezou na capela Sistina, um dos símbolos máximos do catolicismo.

O patriarca ortodoxo ecumênico de Constantinopla foi convidado a falar por ocasião do Sínodo de bispos que está sendo realizado nos últimos dias no Vaticano sob o tema "A Palavra de Deus".

Em princípio estava previsto que Bartolomeu I lesse seu discurso na sala Nervi, no Vaticano, onde acontece a cúpula dos bispos, mas finalmente Bento XVI decidiu celebrar com Bartolomeu I uma cerimônia das Vésperas sem precedentes na capela Sistina.

Durante seu pronunciamento sob os impressionantes afrescos de Michelangelo, Bartolomeu I lançou um apelo a um empenho comum de todos os cristãos e crentes contra a pobreza, o racismo e o fundamentalismo.

"Como discípulos de Deus, agora mais que nunca temos o imperativo de oferecer perspectivas para erradicar a pobreza, promover o equilíbrio do mundo e combater o fundamentalismo e o racismo, além de promover a tolerância religiosa em um mundo cheio de conflitos", declarou Bartolomeu I.

Bartolomeu I, que definiu sua intervenção no Sínodo como um "evento histórico", expressou seu desejo de chegar algum dia à "plena unidade" entre católicos e ortodoxos, superando as atuais diferenças.

Já Bento XVI expressou seu grande afeto e gratidão ao patriarca de Constantinopla e acrescentou que hoje se viveu "uma experiência de comunhão verdadeira". EFE ccg/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.