Passagem em fronteira da Argentina com Chile é liberada

BUENOS AIRES (Reuters) - A passagem na extensa fronteira entre Argentina e o Chile está liberada, com prioridade para veículos particulares, com o objetivo de facilitar o transferência dos milhares de atingidos pelo destruidor terremoto que sacudiu o território chileno no sábado. Máquinas de ambos países trabalham no principal caminho na cordilheira dos Andes, chamada de Cristo Redentor, em que houve desmoronamentos. A estrada une a capital chilena, Santiago, com a cidade argentina de Mendoza.

Reuters |

Várias províncias do oeste da Argentina sentiram com força o sismo de 8,8 graus de magnitude ocorrido na madrugada de sábado, no Chile. Abalos subsequentes sentidos também em regiões argentinas causaram dois mortos e problemas em edifícios.

Milhares de chilenos em diferentes partes da Argentina tentam cruzar a fronteira para seu país uma vez que as comunicações entraram em colapso após o terremoto.

Por outro lado, após inúmeras réplicas do abalo, muitas pessoas querem sair do Chile em busca de segurança no território argentino.

Segundo dados oficiais das autoridades chilenas, o terremoto matou mais de 400 pessoas. A maioria morreu no sul do Chile, onde ocorreu o epicentro do tremor.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG