Passagem de "Matthew" pela Guatemala deixa mais de 2 mil pessoas desabrigadas

Efeito de "Matthew" foi considerado leve pelas autoridades da Guatemala

EFE |

A passagem da depressão tropical "Matthew" pela Guatemala deixou 2.294 pessoas desabrigadas e 84 casas danificadas, informaram neste domingo as autoridades civis de proteção. Depois de 274 mortos, mais de meio milhão de pessoas desabrigadas e US$ 1,553 bilhão em danos causados pelas chuvas este ano na Guatemala, o efeito de "Matthew" foi considerado leve pelas autoridades.

Reuters
Tempestade perdeu força após passar por Honduras e se aproximar da Guatemala
A Coordenadoria Nacional para a Redução de Desastres (Conred) divulgou que foram registrados, no sábado, 35 incidentes no território guatemalteco, entre inundações, afundamentos e deslizamentos devido às chuvas causadas pelo fenômeno meteorológico.

O resultado foi de 1.612 desabrigados e 517 pessoas evacuadas temporariamente, além de outras 97 que ficaram em refúgios e 68 que estão em risco por viver em áreas expostas a inundações.

Há, além disso, 74 casas que foram levemente danificadas e outras 10 que tiveram avarias consideradas de nível moderado.

No seu último pronunciamento oficial sobre o "Matthew", o secretário-executivo da Conred, Alejandro Maldonado, explicou que os departamentos de Izabal, Petén, Alta Verapaz, El Progreso, Zacapa, Chiquimula, Jalapa, Santa Rosa, Suchitepéquez, Chimaltenango, Huehuetenango e Totonicapán foram os afetados pelas chuvas.

Maldonado comemorou o fato de não haver vítimas fatais nem pessoas desaparecidas ou feridas.

Por sua parte, o Instituto Nacional de Sismologia, Vulcanologia, Meteorologia e Hidrologia (Insivumeh) da Guatemala, informou que o fenômeno meteorológico se transformou em um sistema de baixa pressão e que encontra-se neste domingo localizado no litoral sul do Golfo do México.

As chuvas de "Matthew" no México já deixaram rios transborados nas zonas montanhosas de Chiapas e Tabasco, no sudeste do país.

Segundo o relatório do Insivumeh das 8h do horário local (11h de Brasília), o mau tempo deve seguir na Guatemala por pelo menos três dias devido à aproximação de uma fraca frente fria que pode se relacionar com os efeitos deixados pelo sistema de baixa pressão.

Por enquanto, a Conred mantém o alerta laranja em todo o território, porque o solo está saturado de água pelas chuvas, o que pode causar deslizamentos. 

    Leia tudo sobre: matthewtempestade

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG