Passagem de ciclone pela Austrália deixa um morto

Categoria do Yasi foi reduzida; serviços de emergência e soldados tentam chegar a zonas atingidas

iG São Paulo |

Ao menos um morador do Estado australiano de Queensland morreu após a passagem do ciclone Yasi pelo nordeste da Austrália, onde os moradores começaram nesta sexta-feira a limpar os destroços. Com muito menos força, o temporal segue agora para o interior do país. 

O corpo de um homem de 23 anos foi encontrado na noite de quinta-feira em sua casa, perto da localidade litorânea de Ingham, indicou a chefe do governo do Estado de Queensland, Anna Bligh. Fontes policiais indicaram que o jovem morreu após inalar gás tóxico procedente de um gerador elétrico com o qual havia se abrigado dentro de uma garagem sem ventilação. 

AP
Moradores de Mission Beach, na Austrália, observam danos causados pelo ciclone Yasi
Em outras comunidades atingidas no litoral de Queensland, dezenas de moradores começaram na manhã desta sexta-feira a reparar os danos causados pelo ciclone, como telhados arrancados e solos inundados. Os aeroportos retomaram os voos e tudo parece ter voltado ao normal, embora os destroços sejam evidentes. 

O Yasi tocou a terra à meia-noite de quinta-feira com ventos de 280 km/h e sequências de mais de 300 km/h, causando ondas gigantes que arrasaram parte de várias cidades litorâneas e destruíram centenas de milhões de dólares em cultivos de açúcar e banana. Centenas de casas foram reduzidas a escombros, enquanto se está avaliando se o temporal afetou a Grande Barreira de Coral da Austrália, o maior recife do mundo. 

Nas últimas horas, a categoria do Yasi foi reduzida de ciclone para sistema de baixa pressão tropical, embora ainda apresente ventos de quase 100 km/h e possa provocar enchentes no interior de Queensland. 

A primeira-ministra australiana, Julia Gillard, visitará a zona atingida, à qual já viajou em várias ocasiões há algumas semanas por ocasião das piores inundações em 50 anos. As enchentes provocadas pelas fortes chuvas afetaram uma área do tamanho de Alemanha e França juntas e deixaram 35 mortos e danos econômicos no valor de US$ 5,6 bilhões.

Os serviços de emergência e 4 mil soldados tentavam chegar nesta sexta-feira às zonas atingidas pelo ciclone Yasi, o mais potente a atingir a costa nordeste da Austrália em um século. Equipes de emergência tentavam chegar às comunidades ao sul de Cairns mais afetadas pelo ciclone, como Mission Beach, Innisfail, Tully e Cardwell. 

As estradas estavam bloqueadas por árvores arrancados das raízes, postes elétricos e diversos escombros, além de muitos trechos inundados. Quase 150 mil habitantes estavam sem energia elétrica e muitos sem acesso à água potável. 

Um navio com 2,7 mil toneladas de alimentos e material de primeira necessidade chegou ao porto de Townsville para abastecer a região. 

AFP
Área próxima à marina de Cardwell sofreu com o ciclone Yasi
*Com EFE e AFP

    Leia tudo sobre: cicloneaustráliatempestade

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG