Passageiros prejudicados por quebra da Air Comet começam a embarcar

Os clientes da companhia aérea espanhola Air Comet, que parou de operar esta semana, começaram nesta quarta-feira a voar com o plano especial lançado pelo governo da Espanha para resgatá-los.

AFP |


Ao todo, 7.100 passageiros ficaram no chão com o fechamento da companhia - entre eles, cerca de 1.500 brasileiros . Nesta quarta-feira, aproximadamente 900 deles começaram a embarcar nos dois primeiros voos previstos no plano de contingência orquestrado pelo governo espanhol, informou o ministério dos Transportes da Espanha em um comunicado.

AFP
Passageiros da Air Comet aguardam nesta quarta-feira no aeroporto Barajas, em Madrid, Espanha
Passageiros da Air Comet aguardam nesta quarta-feira no aeroporto Barajas, em Madrid, Espanha

Entre estes primeiros, 477 devem viajar em um avião da Espanha com destino a Buenos Aires às 21h, horário local (20H00 GMT). Outros 390 embarcarão para Lima às 23h55 (22H55 GMT).

Um terceiro voo com destino a Bogotá partirá às 1h30 (0h30 GMT) de quinta-feira, e um quarto para Quito, ainda sem horário definido. Os passageiros estão sendo escolhidos de acordo com critérios estabelecidos pelo ministério dos Transportes.

"O primeiro (critério) são as pessoas que estão em trânsito, o segundo é a necessidade (da viagem), e o terceiro são as pessoas em trânsito que estão aceitando viajar antes do dia 26 de dezembro", explicou nesta quarta-feira a secretária dos Transportes, Concepción Gutiérrez.

Segundo Gutiérrez, no entanto, este dispositivo de emergência - que custará 6,3 milhões de euros (8,9 milhões de dólares) - é destinado apenas aos passageiros imediatamente afetados pelo fim da Air Comet.

Reuters
Mulher chora após ter voo cancelado

Mulher chora após ter voo cancelado

"Se uma pessoa reservou seu bilhete para o verão, terá que entrar com uma reclamação econômica contra uma companhia que não cumpriu com suas obrigações", indicou a secretária.

Dezenas de passageiros da Air Comet continuam no aeroporto de Barajas, em Madri, em busca de informações e esperando poder embarcar em um dos voos especiais bancados pelo governo espanhol.

Um juiz britânico proibiu a Air Comet de voar em resposta a um processo judicial, apresentado pelo banco alemão Nord Bank, para o qual a companhia deixou de pagar os 25 milhões de dólares emprestados para o aluguel de aviões, o que precipitou seu fechamento. A empresa passava por uma grave crise, e seus funcionários estavam em greve para exigir o pagamento de salários atrasados.

Leia mais sobre Espanha

    Leia tudo sobre: aviãomadri

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG