Partidos de extrema direita anunciam aliança no Parlamento europeu

Um grupo de partidos de extrema direita de seis países da União Europeia anunciou nesta quinta-feira, em Bruxelas, sua constituição como partido político, com uma aliança no Parlamento Europeu, a fim de se opor a qualquer tentação de criar um super Estado europeu.

BBC Brasil |

A Aliança Europeia de Movimentos Nacionais é formada pela Frente Nacional francesa e seu equivalente belga, o Partido Nacional Britânico, o húngaro Jobbik, o italiano Fiamma Tricolore e o sueco Democracia Nacional.

A ideia da iniciativa já havia sido apresentada no final de outubro em Budapeste (Hungria), quando esses partidos assinaram um manifesto comprometendo-se a lutar pela "preservação da diversidade europeia", que consideram ameaçada pelo projeto da UE, especialmente com a entrada em vigor do Tratado de Lisboa, em 1º de dezembro.

Em sua declaração política, o novo partido prega uma "Europa de Estados livres, independentes e iguais", protegida das "consequências destrutivas da globalização" e na qual predominam os "valores tradicionais da sociedade".

Também promete buscar uma "solução humana e pacífica para o problema da imigração, especialmente por meio de uma cooperação internacional que promova o desenvolvimento e a autosuficiência dos países do terceiro mundo".

Financiamento público

Outro objetivo da união é constituir um grupo político no Parlamento Europeu, o que daria à formação o direito a financiamento público comunitário para suas atividades.

"Queremos ter acesso a parte dos quase 11 milhões de euros que são distribuídos atualmente entre nossos adversários", afirmou o vice-presidente da Frente Nacional francesa, Bruno Gollnisch.

O líder do Partido Nacional Britânico, Nick Griffin, calcula que seu partido, que ganhou quase um milhão de votos nas eleições europeias de junho passado, teria direito a cerca de 324 mil euros.

Desde julho de 2004, o Parlamento Europeu reserva parte de seu orçamento para financiar até 85% dos custos dos grupos políticos, mas uma série de condições é imposta para a liberação das verbas.

Os grupos políticos candidatos ao dinheiro, por exemplo, devem provar que "seguem os princípios da liberdade, da democracia, do respeito aos direitos humanos, às liberdades fundamentais e ao estado de direito".

Além disso, para se constituir como grupo político, um partido precisa contar com ao menos 25 parlamentares de sete países ou mais países.

Para isso, a Aliança Europeia de Movimentos Nacionais precisa de mais um parlamentar de um novo país, o que espera conseguir da extrema direita portuguesa.

Leia mais sobre União Europeia

    Leia tudo sobre: europaunião européia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG