Partidos criticam senador que mandou detetive seguir ministro belga

Bruxelas, 19 abr (EFE).- Todas as legendas belgas criticaram hoje o presidente do Partido Liberal Direitista (LDD) e senador Jean-Marie Dedecker por ter colocado um detetive particular para seguir o ministro de Assuntos Exteriores, Karel De Gucht, para comprovar o possível envolvimento desse em uma fraude imobiliária.

EFE |

Dedecker reconheceu que, no final de 2008, pagou um detetive para espionar o ministro, mas afirmou que a intenção não era se meter na vida privada de De Gucht, e sim conseguir informação sobre uma operação de venda e posterior realocação de vários edifícios judiciais.

"É meu dever como parlamentar controlar o poder Executivo", disse o senador, segundo a agência "Belga", e ressaltou que adotará iniciativas semelhanças no futuro, embora neste caso não tenha conseguido estabelecer vínculo entre De Gucht e as operações imobiliárias.

Segundo a presidente do democrata-cristão CD&V, Marianne Thyssen, a atitude é "inaceitável" e "não pode acontecer no bom funcionamento do Estado de direito". EFE met/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG