Partido Trabalhista pode formar oposição ao Likud em Israel

JERUSALÉM - O líder do Partido Trabalhista de Israel, Ehud Barak, disse hoje a Benjamin Natanyahu, à frente da formação de direita Likud e encarregado de formar o Governo do país, que pensa em se tornar oposição.

EFE |

"Manifestei a Netanyahu que seremos uma oposição séria, responsável e construtiva", comentou Barak ao término de um encontro entre ambos em Jerusalém. O objetivo da reunião era sondar a possibilidade de o Partido Trabalhista fazer parte de um Governo de união liderado por Natanyahu.

Em declarações à rádio pública israelense, Barak disse que voltará a se encontrar com Netanyahu, mas reiterou a decisão: "O povo pediu que nos tornemos oposição e respeitaremos isso".

Já Netanyahu disse à imprensa que, tendo em vista o atual cenário de desafios em Israel, continuará realizando "todos os esforços possíveis para formar um Governo de união nacional". Ele também se encontrou com Tzipi Livni, à frente do Kadima (de centro).

Livni também manteve a postura de passar a fazer parte da oposição, tendo o processo de paz com os palestinos como principal ponto de atrito entre ambos.

O partido de Livni ganhou as eleições realizadas em Israel no último dia 10, com 28 deputados, mas o Likud tem mais apoio político apesar de ter uma cadeira a menos que o Kadima.

A maior parte dos membros do Kadima pediu a Livni que seja oposição e não renuncie seus princípios de continuar o processo de paz com os palestinos em troca de uma pasta no Ministério.

"Continuarei tentando formar um Governo de união nacional para enfrentar as ameaças que Israel enfrenta. Este é o desejo do povo", disse Netanyahu ao término da reunião de ontem à noite.

Leia também:

    Leia tudo sobre: jerusalémoriente médio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG