Partido suíço quer processar brasileira

ZURIQUE - O Partido do Povo da Suíça (SVP), de conotação nacionalista, quer abrir um processo contra a brasileira Paula Oliveira, sob a acusação de ter inventado o ataque que diz ter sofrido uma semana atrás. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Redação com agências |

Enquanto autoridades e parentes acumulam contradições, o partido tenta ganhar publicidade com o caso, que qualifica de "uma farsa".

"Nosso partido está pedindo para que as autoridades abram um processo contra Paula Oliveira por ter inventado um crime que resultou em investigações caras ao contribuinte suíço", afirmou Alain Hauert, porta-voz do SVP.

Na última segunda-feira, a polícia insistiu que ainda não tem uma conclusão definitiva sobre o caso, mas indicou que, ao contrário do que afirmou a brasileira, a tese da autoflagelação ainda é a mais provável.


Supostos agressores marcaram brasileira com sigla de partido de extrema direita / AE

Entenda o caso

Paula Oliveira, advogada de 26 anos, disse ter sido atacada na última semana por três neonazistas em uma estação de trem da Suíça.

Segundo relatos de seu pai, Paulo Oliveira, a brasileira teria sofrido um aborto de gêmeos. Em seu corpo, os supostos agressores teriam talhado as letras SVP, em referência ao partido que defende posições duras contra a imigração.

Na última sexta-feira, a polícia suíça apresentou um laudo médico, afirmando que Paula não estava grávida e alertando que privilegiaria a suspeita de que a brasileira teria se automutilado.

Leia também:

Leia mais sobre brasileira na Suíça

* Com Agência Estado e AP

    Leia tudo sobre: suíça

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG