Partido Republicano aprova conservadora plataforma política

St Paul (EUA), 1 set (EFE).- O Partido Republicano aprovou hoje por unanimidade uma plataforma política que se opõe ao aborto, ao casamento gay, à anistia dos imigrantes ilegais, e que dedica atenção especial ao tema da energia.

EFE |

A plataforma, que estabelece as linhas gerais defendidas pelo partido, incorpora mudanças significativas em relação à de 2004 em temas importantes como a imigração.

Além disso, faz poucas referências ao senador John McCain, que esta semana será nomeado candidato oficial à Casa Branca durante a Convenção Republicana.

O candidato republicano teve uma relação tensa com membros de seu partido devido a sua tendência a romper com a ala mais ortodoxa do partido.

A principal mudança em relação ao programa eleitoral de 2004 tem a ver com a imigração.

O programa rejeita a anistia, defende uma maior segurança fronteiriça e define a imigração como um "assunto de segurança nacional".

Há quatro anos, o setor mais moderado dos republicanos se impôs no momento de pedir uma reforma migratória que fosse "legal, segura, estruturada e humana".

McCain respaldou o projeto de reforma migratória de Bush que fracassou no ano passado, em razão da oposição da parte mais conservadora do Partido Republicano.

O documento aprovado hoje pede também maior agilidade nos trâmites de deportação e a correção das decisões adotadas pelos tribunais que dificultaram as deportações.

No terreno da mudança climática, parece que a parte mais moderada do partido impôs sua vontade, já que o documento reconhece que as emissões de CO2 geradas pela atividade humana têm um efeito no aquecimento do planeta.

O texto indica que "apesar de o alcance e as conseqüências a longo prazo do (citado impacto da atividade humana no planeta) seja objeto de pesquisa, os Estados Unidos deveriam adotar alguns passos para reduzir seu impacto no meio ambiente".

A plataforma destaca que medidas desse tipo também serão positivas para a segurança nacional, a independência energética e a economia dos EUA.

McCain defende que os Estados Unidos adotem medidas para frear o aquecimento global.

Na plataforma, os republicanos também se opõem firmemente ao casamento homossexual e ao aborto, e respaldam uma emenda constitucional para proibi-los. McCain se opõe a uma medida desse tipo.

O programa aprovado hoje defende a ampliação da pesquisa com células-tronco adultas, mas se opõe à pesquisa com células-tronco embrionárias, algo que McCain respalda.

O documento também aborda a segurança nacional, mas menciona o Iraque apenas em sete ocasiões, contra as mais de 40 do texto divulgado há quatro anos.

Segundo a plataforma aprovada hoje, o objetivo é conseguir um Iraque "estável, unificado e democrático".

"Nosso êxito no Iraque negará à Al Qaeda um santuário, limitará a influência do Irã no Oriente Médio, reforçará as forças moderadas (no Irã) e nos dará um aliado estratégico na luta contra o extremismo", segundo o documento.

O programa deste ano concede mais espaço à energia, um dos assuntos que mais preocupam os eleitores, e do qual McCain falou muito até o momento em sua campanha. EFE tb/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG