Membro da Liga Norte, Mario Borghezio causou polêmica ao declarar que ideias de Anders Behring Breivik sobre combate à imigração eram 'ótimas'

Mario Borghezio perto de símbolo do partido de extrema direita Pro Koeln, em visita a Colônia, na Alemanha (foto de arquivo)
Getty Images
Mario Borghezio perto de símbolo do partido de extrema direita Pro Koeln, em visita a Colônia, na Alemanha (foto de arquivo)
O eurodeputado italiano Mario Borghezio, membro do partido Liga Norte , aliado do governo de Silvio Berlusconi, foi suspenso nesta sexta-feira por três meses pelo conselho federal da formação por seu apoio às ideias do autor confesso do massacre na Noruega, Anders Behring Breivik . (Saiba como o extremista executou os ataques na Noruega)

Segundo fontes ligadas ao partido, o político também foi suspenso do cargo de presidente da Liga Norte na região de Piemonte, cuja capital é Turim.

Borghezio declarou não ter sido notificado sobre nenhuma decisão, mas acrescentou que aceitará qualquer sentença "como um soldado".

O eurodeputado havia declarado à rádio Il Sole-24 Ore que algumas das ideias de Breivik sobre o impacto da imigração na Europa e a necessidade de combatê-la eram "ótimas", mas não concordava com os atos violentos cometidos pelo noruguês de 32 anos.

Polêmica

As declarações causaram forte polêmica na Itália e críticas de todas correntes políticas, ao ponto de alguns partidos progressistas pedirem a renúncia de Borghezio. Além disso, a Promotoria de Milão decidiu abrir uma investigação para apurar suas afirmações.

O eurodeputado pediu perdão às vítimas dos atentados de Breivik e seus familiares, mas descartou a renúncia, ao considerar que suas palavras haviam sido instrumentalizadas.

O partido de Borghezio, a Liga Norte, tem base no norte da Itália, é contra a entrada de imigrantes na Europa e é conhecido pelo discurso anti-Islã.

*Com EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.